Todo e qualquer fato pode ser associado à geografia. Não é a toa que ela é a disciplina da atualidade.

Arquivo para fevereiro, 2012

Escola ideal…

Nossa!!!…falar sobre a escola ideal no Brasil é bem fácil…escola ideal aqui, é aquela que de FATO ensine.

Uma escola em que os alunos frequentem e REALMENTE aprendam e não se tornem mais somente números fajutos de alfabetização.

Mas, lendo blogs pela net, encontrei a busca pela escola ideal em um país desenvolvido, onde o nível de alfabetização é 100%, Suécia. Veja o artigo sobre uma escola sem muros:

A escola é Vittra Telefonplan, localizada em Estolcomo, na Suécia, na qual o lema é que “o espaço físico da escola é a ferramenta mais importante”.

Não há muito o que falar, vejam as fotos que falam por si mesmas.

Dá pra sentir a diferença? Quem sabe um dia, nós brasileiros….

(FONTE:  Livros e Afins)

Anúncios

O lado obscuro dos personagens Disney

O ilustrador Servio Darko Kreculj em que ele mostra um outro lado dos personagens da Disney,em uma versão que espantaria qualquer um dos visitantes da Disney World.

Encontrei no blog do Claudio Ferreira Logan umas imagens bem legais sobre os personagens da Disney, vistos sob uma outra ótica, segundo palavras do próprio Claudio: “uma criação muito insana do ilustrador Servio Darko Kreculj em que ele mostra um outro lado dos personagens da Disney, todos temos alguns, ou “vários” monstros dentro de nós mesmos, mas esse cara conseguiu colocar para fora as mais estranhas criaturas desses personagens que estiveram em nossas infâncias por muito tempo… ele recriou alguns deles em uma versão que espantaria qualquer um dos visitantes da Disney World. Afinal, quem quer ver o Pateta como um cafetão ou Pato Donald mostrando sua genitália?

Bem… ainda bem que esses personagens não são uma nova investida da Disney para alcançar um publico mais maduro… e sim, apenas os velhos personagens na visão do ilustrador.

Também encontrados na série imaginativa de Darko Kreculj um Mickey Mouse como um bruto gigante, Pluto como um cão de guarda infernal e Minnie Mouse, como uma prostituta… que estranho, como o Mickey deixou isso acontecer???

Se você achou essas representações de Darko Kreculj impressionante, você pode querer verificar outras ilustrações do artista freelance sérvio em seu perfil no Hub CG.”

(Fonte:Obvious)


e enfim…

pra refletir…


Olha o carnaval aí geeente!!!


HAARP

Ano passado (2011) após uma conversa com uma querida amiga e tb professora de História (Monique Lopes) surgiu uma grande dúvida: o Homem pode controlar o clima? Buscamos algumas respostas e encontramos o chamado HAARP (vc já, já vai descobrir do que se trata)

Postei então alguns dados a respeito do projeto polêmico norte-americano.

A semana passada, no Primeiro Ano C surgiu uma discussão a cerca do mesmo tema, e combinei que RE-Postaria as informações. Portanto, segue o link para o post de 2011.

 


Evolucionismo x Criacionismo

Na semana que passou, nas turmas do PRIMEIRO Ano  tratamos da origem do universo e a partir desse conteúdo diferenciamos as 2 principais correntes que tratam da criação do mesmo: o EVOLUCIONISMO, a partir da evolução, da razão e o CRIACIONISMO, a partir da Fé.

Ao final da aula, e após identificarmos outros tipos de evolução (do homem, do comportamento, da informação, etc…) vcs deveriam interpretar as quatro imagens abaixo e identificar de qual evolução se trata a figura.

Segue as imagens para a atividade, entregar na próxima aula.

Uma galera do Primeiro ano B, pediu que disponibilizasse tb o vídeo do Criacionismo e Evolucionismo.. aí vai:


Carnaval…

*P.S – Desculpe galera, mas o palavrão foi necessário. 😉


Se os tubarões fossem homens…

Galera do Nono Ano, não esqueçam da nossa discussão sobre o texto de Bertolt Brecht, “Se os tubarões fossem homens” de amanhã.

Segue abaixo o texto:

“Se os tubarões fossem homens, perguntou ao senhor K. a filha de sua senhoria, eles seriam mais amáveis com os peixinhos? Certamente, disse ele. Se os tubarões fossem homens, construiriam no mar grandes gaiolas para os peixes pequenos, com todo tipo de alimento, tanto animal quanto vegetal. Cuidariam para que as gaiolas tivessem sempre água fresca e tomariam toda espécie de medidas sanitárias.

Se, por exemplo, um peixinho ferisse a barbatana, lhe fariam imediatamente um curativo, para que não morresse antes do tempo. Para que os peixinhos não ficassem melancólicos, haveria grandes festas aquáticas de vez em quando, pois os peixinhos alegres tem melhor sabor do que os tristes. Naturalmente haveria também escolas nas gaiolas. Nessas escolas os peixinhos aprenderiam como nadar para a goela dos tubarões. Precisariam saber geografia, por exemplo, para localizar os grandes tubarões que vagueiam descansadamente pelo mar. O mais importante seria, naturalmente, a formação moral dos peixinhos. Eles seriam informados de que nada existe de mais belo e mais sublime do que um peixinho que se sacrifica contente, e que todos deveriam crer nos tubarões, sobretudo quando dissessem que cuidam de sua felicidade futura. Os peixinhos saberiam que este futuro só estaria assegurado se estudassem docilmente. Acima de tudo, os peixinhos deveriam evitar toda inclinação baixa, materialista, egoísta e marxista, e avisar imediatamente os tubarões, se um deles mostrasse tais tendências.

Se os tubarões fossem homens, naturalmente fariam guerras entre si, para conquistar gaiolas e peixinhos estrangeiros. Nessas guerras eles fariam lutar os seus peixinhos, e lhes ensinariam que há uma enorme diferença entre eles e os peixinhos dos outros tubarões. Os peixinhos, iriam proclamar, são notoriamente mudos, mas silenciam em línguas diferentes, e por isso não podem se entender. Cada peixinho que na guerra matasse alguns outros, inimigos, que silenciam em outra língua, seria condecorado com uma pequena medalha de argaço e receberia um título de herói. Se os tubarões fossem homens, naturalmente haveria também arte entre eles. Haveria belos quadros, representando os dentes dos tubarões em cores soberbas, e suas goelas como jardim que se brinca deliciosamente. Os teatros do fundo do mar mostrariam valorosos peixinhos nadando com entusiasmo para as gargantas dos tubarões, e a música seria tão bela, que seus acordes todos os peixinhos, como orquestra na frente, sonhando, embalados, nos pensamentos mais doces, se precipitariam nas gargantas dos tubarões.

Também não faltaria uma religião, se os tubarões fossem homens. Ela ensinaria que a verdadeira vida dos peixinhos começa apenas na barriga dos tubarões. Além disso, se os tubarões fossem homens também acabaria a idéia de que os peixinhos são iguais entre si. Alguns deles se tornariam funcionários e seriam colocados acima dos outros. Aqueles ligeiramente maiores poderiam inclusive comer os menores. Isso seria agradável para os tubarões, pois eles teriam com maior freqüência, bocados maiores para comer. E os peixinhos maiores detentores de cargos, cuidariam da ordem entre os peixinhos, tornando-se professores, oficiais, construtores de gaiolas, etc. Em suma, haveria uma civilização no mar, se os tubarões fossem homens.”


Terceirão-2012

Também, relembrando a galera do Terceiro Ano-2012/ICE sobre a atividade para essa belíssima semana pré-carnaval.

Não esqueçam do material sobre Belo Monte.

Na primeira semana de aula, vimos os dois vídeos polêmicos lançados na internet em 2011 sobre a usina:

-o primeiro vídeo, do MOVIMENTO GOTA D’ÁGUA, contra a construção da usina e depois, vimos o vídeo,

TEMPESTADE EM COPO D’ÁGUA, um vídeo formulado a partir do primeiro contestando as informações do mesmo, elaborado por estudantes e a favor da construção da usina.

Agora, vcs alunos, já foram divididos e  deverão levar à próxima aula a fundamentação a favor e contra a construção da USINA DE BELO MONTE e faremos nosso primeiro DEBATE de 2012.

Beijo e até lá…

*Segue abaixo os dois vídeos para serem revistos (caso necessário)


Atividade 9° Ano

Galera do 9°Ano, só relembrando a atividade que temos para essa semana.

Vimos em sala as fases do capitalismo, relembramos o sistema anterior (Feudalismo) e suas diferenças junto ao principal sistema vigente (capitalismo).

Escutamos a música, ÍNDIOS (Legião Urbana) e agora elabore um texto relacionando a letra da música com o contexto da primeira fase do capitalismo, o CAPITALISMO COMERCIAL.

Para os alunos que têm a apostila, na página 09 tem um trecho da música, aqueles que ainda não têm a apostila, segue o vídeo que vimos em sala de aula.


Facebookistão…

“Visitei terras e culturas diferentes. Percorri boa parte do Oriente Médio e da Ásia. Travei contato com diversos povos. Fui um dos primeiros ocidentais a percorrer a Rota da Seda, em busca de um tecido que, ao ser rasgado, se transformasse em elogio. Sou cartão platinum em quase todas as companhias. Por isso, posso dizer de cadeira: não há lugar no mundo como o Facebookistão.

Esse país, de paisagem branca e azul, congrega mais de 800 milhões de pessoas. Um em cada 13 habitantes do planeta vive lá. Dentro de suas fronteiras falam-se algo em torno de 70 idiomas. Não incluindo aí o novo léxico pictórico, tipo \o/ , 🙂 , 😦 etc.

A população é essencialmente linda, bem-sucedida, de gosto refinado, preocupada com a justiça social, o meio ambiente e os animais. É um povo muito receptivo. Cada pessoa tem por volta de 130 amigos. A maioria só convive mesmo com uns 4 desses 130. Mesmo assim estão sempre abertos a novas solicitações, não sem antes olhar o álbum de fotos do pretendente, é claro.

O ambiente é democrático, apesar de ser uma monarquia absoluta. O monarca, de apenas 28 anos, pode não só fazer as leis, como também excluir qualquer pessoa que estiver, inclusive, andando na linha. Em breve, o rei, como muitos outros governantes, venderá a nação para o mercado financeiro através de um IPO.

Nesse estranho país, protesta-se contra reacionários, insensíveis, fofoqueiros, sertanejos, funkeiros, homofóbicos, racistas, corruptos, fúteis, ditadores, mal-educados. O efeito dessas vozes dentro do território é inócuo, uma vez que ninguém lá possui tais defeitos. É muito comum no Facebookistão as pessoas protestarem também contra a falta de privacidade de seus dados. Poucos têm paciência de ler atentamente as cláusulas que regem o uso das informações fornecidas. Estes preferem usar o tempo para relatar publicamente como anda sua digestão ou expor as fotos da operação de fimose.

A principal atividade é a postagem. Todo dia, a população publica mais de 250 milhões de fotos. A cada 20 minutos, 10 milhões de comentários são escritos, 2 milhões de perfis são atualizados e 1 milhão de links são compartilhados. Que trabalho terão os cientistas sociais do futuro.

A moeda de troca é o like. Trocam-se likes por mais likes. O que no fim das contas não faz a economia produzir valor. A não ser para o monarca, que, com esse intenso tráfego de gentilezas, vende com mais facilidade os espaços publicitários aos anunciantes.

Quando conto essas coisas, as pessoas pensam que estou inventando ou que fiquei louco, acham que é mais uma viagem de Marco Polo.

Enfim, se você se interessou em visitar, saiba que, ao contrário da Europa e dos Estados Unidos, entrar para essa comunidade especial é simples. Basta apresentar seu nome, um e-mail e a data de nascimento. Esses dados nem precisam ser verdadeiros. Entrar é facílimo, difícil mesmo é sair.”

Texto retirado do blog “Blogs do Além” – Marco Polo. Acho que muitos aí tb já ‘moram’ nesse país chamado Facebookistão. 😉


2012…

É, eu sei que eu sou meio suspeita pra falar que a educação é a base que vai resolver os seus problemas. Mas é.

Li um texto de geografia, que falava sobre um estudo realizado pelo Banco Mundial que constatava que apenas uma pequena parte do crescimento econômico (16%) é resultado do investimento físico  (máquinas, edificações e infraestrutura).

Enquanto as condições ambientais da região (disponibilidade de recursos hídricos, fertilidade dos solos, reservas minerais) contribuíram com 20%, boa parcela do crescimento (64%) ocorreu em função do investimento em capital humano e social.

A educação ajuda as pessoas a tomarem decisões que atendem às necessidades do presente sem prejudicar as gerações futuras.

Um outro texto (já postado anteriormente aqui) diz que a criança que lê pode se tornar um adulto perigoso, inconformado com os problemas do mundo, (…) ainda: Ler pode ser um problema, pode gerar seres humanos conscientes demais dos seus direitos políticos (…) afinal de contas, a leitura é um poder, e o poder é para poucos.

E, finalmente, uma das que particularmente mais gosto: Ler pode tornar o homem perigosamente humano…”

Em 2011, escutei uma frase que gostei muito, concordo e sempre vou usar: só existem duas pessoas que querem que vcs sejam melhores do que eles: seus pais e seus professores. Bem vindos à 2012.

Evolução, a solução está na educação.

Professora Fernanda Lopes


Qual é o seu?

(FONTE: Universidade Capenga – facebook)


S.O.P.A